COMO UM ADVOGADO PODERIA LIVRAR JESUS DA CRUZ

Muito interessante! Jesus poderia ter arrumado uma outra forma de cumprir sua missão, contratando um advogado?

Pois é, se naquele ambiente fosse possibilitado uma defesa jurídica, com certeza não seria difícil um advogado encontrar a inocência de Jesus. 

Li em um artigo1 o seguinte: “o trabalho de um advogado suficientemente corajoso para o pleno exercício da natureza contra majoritária de seu ofício teria provavelmente comprovado a inocência de Cristo e mantido a condenação de Barrabás”, e continua dizendo: “...O certo é que a história da humanidade poderia ter sido outra ...” e ainda explica que Jesus poderia ter realizado um último milagre: curar a estupidez humana.

NÃO TERIA SIDO OUTRA! Senão vejamos.

JESUS estava prestes a ser preso para ser crucificado e disse: “Agora a minha alma está perturbada; e que direi eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isto vim a esta hora” (João 12:27).

Após ser preso foi levado até a presença de Pilatos, responsável pelo Tribunal de Justiça, e Pilatos também tinha este pensamento e a certeza da inocência de Jesus: “Disse-lhe Pilatos: Que é a verdade? E, dizendo isto, tornou a ir ter com os judeus, e disse-lhes: Não acho nele crime algum” (João 18:38).

Pilatos até tentou salvar Jesus da cruz: “Disse-lhe, pois, Pilatos: Não me falas a mim? Não sabes tu que tenho poder para te crucificar e tenho poder para te soltar?” (João 19:10).

No entanto JESUS foi incisivo: “Respondeu JESUS: Nenhum poder terias contra mim, se de cima não te fosse dado” (João 19:11). E ninguém matou Jesus pois Ele disse “Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la” (João 10:17).

TINHA UM INIMIGO A SER ABATIDO! E SÓ JESUS PODERIA FaZê-Lo.

A salvação da humanidade não estava precisamente na permanência de Jesus aqui na terra operando milagres e vivendo por aqui, mas justamente o contrário, ELE PRECISAVA MORRER.

PARA TRAZER VIDA TEM QUE TER VIDA, JESUS DESTRUIU O PODER DA MORTE COM A PRÓPRIA MORTE!

E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo” (Hebreus 2:14).

E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.” (Apocalipse 1:18)

Jesus não precisava de um advogado naquele Tribunal, pois a sentença já estava prevista desde a fundação do mundo: ...esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo ( Apocalipse 13:8), e ainda: “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher...”(Gálatas 4.4).

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) teriam entrado com uma solicitação no STF, a fim de que fosse cumprido o Princípio Constitucional da Ampla Defesa e do Contraditório e como Jesus foi condenado por unanimidade o seu advogado teria impetrado os Embargos Declaratórios.

SE FOSSE NO BRASIL A MADEIRA DA CRUZ TERIA APODRECIDO ESPERANDO A SENTENÇA.

MAS, MINHA ALMA TINHA URGÊNCIA PARA VOLTAR PARA DEUS.

Se Jesus não tivesse subido ao Calvário e morrido por nós, posso dizer com letras garrafais:

A HISTÓRIA DA HUMANIDADE TERIA SIDO OUTRA:

A TOTAL FALÊNCIA DA ÚNICA ESPERANÇA HUMANA - A NOSSA SALVAÇÃO.

 

Roni Evangelista

Roni Evangelista

Um dos Coordenadores da UMADERM
Licenciatura em Teologia pela FAETEL (RJ)
Bacharel em Teologia - FEST/FAERPI - PI
Mestrado e Doutorado em Teologia Evangélica - SETEB (RN)
Roni Evangelista

Últimos posts por Roni Evangelista (exibir todos)

Roni Evangelista

Um dos Coordenadores da UMADERM Licenciatura em Teologia pela FAETEL (RJ) Bacharel em Teologia - FEST/FAERPI - PI Mestrado e Doutorado em Teologia Evangélica - SETEB (RN)