​ÁRVORE DA CIÊNCIA DO BEM E DO MAL:  Todo crente tem uma. Já achou a sua?

Por que Deus fez nascer uma árvore no jardim do Éden para o homem comer de seu fruto e “se lascar”?   Já pensou sobre isso? E se eu disser que você tem uma aí perto de você? Bem verdinha e com muitos frutos pendurados?

Vamos a resposta da primeira questão. Você já deve ter ouvido falar do livre arbítrio humano onde o homem pode escolher entre o certo e o errado. Deus nunca quis que ninguém o servisse e o adorasse de uma forma obrigatória. O primeiro casal viveu no jardim no tempo em que o pecado ainda não tinha penetrado em suas vidas, portanto eram totalmente livres para escolher o que quisessem.

       Uma coisa interessante é que tanto a árvore do conhecimento do bem e do mal e a árvore da vida ficavam no meio do jardim. O primeiro casal para comer do fruto da árvore da vida tinha que passar pela outra árvore ou, no mínimo, enxergá-la. Era uma vida de escolha constante. Deus os testava sempre, pois se não fosse assim SERIAM APENAS ROBÔS.

MAS, a árvore do conhecimento do bem do mal ainda está muito viva na vida de todos os crentes fiéis, não importa o quanto ore, jejue ou busque a Deus. Ela sempre estará lá, ao LADO DA ÁRVORE DA VIDA.  Com todos os seus frutos fresquinhos, suculentos e chamativos.

PAULO tinha essa árvore. Um dia ele pediu a Deus que a removesse de sua vida. A resposta de Deus foi: A MINHA GRAÇA TE BASTA e o meu poder aperfeiçoa na fraqueza.

Esta árvore para alguns é a pornografia de herança passada, outros o alimento, outros a cobiça de algo que nunca vai ter. CADA UM TEM A SUA ÁRVORE, não tem como arrancá-la. São heranças que adquirimos quando ainda estávamos no mundo.

Eu tirei uma lição disso: DEPENDÊNCIA TOTAL DE DEUS. Veja este depoimento que colhi:

“Eu carreguei esta árvore na área sexual por cerca de um ano. Quando vim para Jesus eu tinha vinte anos e esta herança me acompanhou. Jovem, novo convertido passava por algum tempo na comunhão com Deus, mas quanto mais próximo da árvore da vida, participava do fruto da outra árvore. Um dia tomei uma decisão cruel. Pedi a Deus para me libertar, caso contrário eu não iria ser mais crente, por que aquela vida de cai-levanta estava me matando.  A decisão foi simples: o Deus Todo Poderoso providenciou para mim duas malárias de 50 dias de duração. Pensei: acabaram os problemas. Lindo engano. Aquilo era apenas uma arvorezinha”.

Recorramos o caso da pornografia virtual (cerca de 68% dos cristãos evangélicos* 33% são mulheres). Alguém que tem essa árvore em seu jardim. Um profissional que trabalha com internet para sobreviver e trabalha sozinho em seu escritório. A árvore estará ali sempre aos seus olhos. O verso “andai em Espírito e mortificareis as obras da carne” estará sempre na tela de seu computador, escrita em uma plaquinha em sua mesa, em um quadro na parede, o som ligado em som baixo no computador com canções espirituais, seu escritório não tem portas. Meios que criou para proteção e não estender a mão ao fruto proibido.

Embora o homem enxergue constantemente a árvore do conhecimento do bem e do mal, compete a ele estender a mão e pegar apenas do fruto da árvore da vida.

Já ajudei, pela graça de Deus, algumas pessoas a identificarem as suas árvores e ensinei como fazer uma cerca ao redor delas. Se algum leitor(a) quiser ajuda, eu estou pronto a ajudar. Sigilo absoluto!

A minha árvore? Já cerquei com cerca elétrica e com placas: NÃO ULTRAPASSE! MORTE CERTA.

*As estatísticas mais recentes, disponíveis em um relatório chamado ‘The Phenomenon Porn’ (‘O Fenômeno da Pornografia’)

Roni Evangelista

Roni Evangelista

Um dos Coordenadores da UMADERM
Licenciatura em Teologia pela FAETEL (RJ)
Bacharel em Teologia - FEST/FAERPI - PI
Mestrado e Doutorado em Teologia Evangélica - SETEB (RN)
Roni Evangelista

Roni Evangelista

Um dos Coordenadores da UMADERM Licenciatura em Teologia pela FAETEL (RJ) Bacharel em Teologia - FEST/FAERPI - PI Mestrado e Doutorado em Teologia Evangélica - SETEB (RN)

Leave a Reply