Evangélico e o Espírita. Quem tem mais chances de ir para o inferno?


A palavra probabilidade deriva do Latim probare (provar ou testar). Informalmente, provável é uma das muitas palavras utilizadas para eventos incertos ou desconhecidos, sendo também substituída por algumas palavras como “sorte”, “risco”, “azar”, “chance”, “incerteza”, “duvidoso”, dependendo do contexto. (WiKi)

Duas crianças moravam em um mesmo bairro, estudaram na mesma escola e chegou o dia em que cada um seguiu o seu destino.

O tempo passou e se reencontraram. Conversa vem, conversa vai. Chegaram ao tema religião. Um deles converteu-se ao Cristianismo e o outro ao Espiritismo Kardecista. O kardecista explicava sua forma de ver com a filosofia do aperfeiçoamento moral das pessoas através da ajuda de espíritos desencarnados.

Os temas chegaram até a vida após a morte, céu e inferno. Sabendo que as ideias dos dois eram antagônicas, o evangélico perguntou ao amigo kardecista e desafiou-o, dizendo que pela ciência se conseguiria provar que o seu amigo teria menor chance de ser salvo quanto a ele.

O amigo ficou muito interessado nisso. O amigo evangélico propôs a situação dizendo que pelos princípios doutrinários do Kardecismo, que prega a prática da boas obras, do amor ao próximo, o desenvolvimento das virtudes para ir ao mundo superior, ele e o amigo Kardecista estava cem por cento habilitado, pois praticavam isso. O amigo concordou com a premissa dita pelo evangélico.

Ele prosseguiu: pelos princípios doutrinários do Cristianismo, que prega a salvação através da crença em aceitar a Jesus como Salvador e que Jesus é o Filho de Deus, doutrina não aceita pelo Espiritismo, ele estaria cem por cento habilitado e o seu amigo Kardecista estaria zero por cento, sendo que o amigo concordou.

Portanto, matematicamente falando, e pelos princípios da probabilidade, tanto pelo Espiritismo como pelo Cristianismo eu vou me dar bem. Isto é tenho 100% chance de ser salvo.

Agora você só tem 50% de chance de ser salvo e 50% de ser condenado.

O evangélico concluiu: se você estiver certo, tudo bem, agora se eu estiver certo você está em apuros, meu amigo. Esse cálculo não lhe favorece. Na dúvida é melhor ter a certeza.

Os dois se abraçaram e se despediram onde cada um seguiu o seu rumo, ao mesmo tempo que alguém lhes entregava um panfleto publicitário com o seguinte dizer: É MELHOR TER UM PÁSSARO NA MÃO DO QUE DOIS VOANDO”

“Eis que ponho diante de ti a vida ou a morte, a bênção ou a maldição, escolhe a vida para que vivas, […]!” (Deuteronômio 30:19).

Roni Evangelista

Roni Evangelista

Um dos Coordenadores da UMADERM
Licenciatura em Teologia pela FAETEL (RJ)
Bacharel em Teologia - FEST/FAERPI - PI
Mestrado e Doutorado em Teologia Evangélica - SETEB (RN)
Roni Evangelista

Roni Evangelista

Um dos Coordenadores da UMADERM Licenciatura em Teologia pela FAETEL (RJ) Bacharel em Teologia - FEST/FAERPI - PI Mestrado e Doutorado em Teologia Evangélica - SETEB (RN)

Comentários no Facebook